terça-feira, 3 de junho de 2014

Anti-tabagismo


O tabagismo prejudica quem fuma e quem convive com o fumante. O fumante passivo tem 30% mais chance de desenvolver câncer que pessoas que não respiram fumaça dos outros. Além disso, a cada dia é descoberta uma nova substância prejudicial à saúde no cigarro, cuja fumaça contém cerca de 4.000 agentes poluentes.


Conforme dados do Ministério da Saúde, o tabagismo é responsável por 200 mil mortes por ano no Brasil. Destas, 90% são por câncer de pulmão, 25% por doença coronariana, 85% por doença pulmonar obstrutiva crônica e 25% por doença cérebro-vascular.

Mulheres

No caso das mulheres, estudo do Departamento de Serviços de Saúde da Califórnia, divulgado em 2004, indica que a incidência de câncer de mama em mulheres fumantes é 30% maior que naquelas que nunca fumaram. O cigarro é também inimigo da vaidade feminina: torna os cabelos mais frágeis, provoca amarelamento nas unhas e mãos, favorece o surgimento de rugas, prejudica o hálito e engrossa a voz.


Jovens
Estudos do Ministério da Saúde alertam ainda que cerca de 90% dos fumantes adquiriram o hábito antes de 19 anos. O Banco Mundial estima que cerca de 100 mil jovens começam a fumar a cada dia no mundo e, que a idade média de iniciação no tabagismo é de 15 anos. Por isso, as ações do Programa de Controle do Tabagismo contemplam, com prioridade, jovens na faixa entre 15 e 17 anos.



Legislação
Na Bahia, desde 2000, a Sesab proibiu, através da Portaria nº 1438, o consumo de produtos fumígeros nas dependências internas da secretaria. A Portaria nº 1424, proibiu o uso do cigarro em todas as unidades de saúde e no interior dos veículos oficiais da Sesab.



Em âmbito nacional, a Lei Federal nº 9294 também proíbe o fumo em recintos públicos e privados, com exceção das áreas destinadas para este fim.


PECT
O Programa de Controle do Tabagismo e outros Fatores de Risco de Câncer (PECT), da Secretaria da Saúde do Estado, foi criado em 1999. O PECT desenvolve atividades e sensibilizações contínuas em unidades de saúde, escolas e ambientes de trabalho e também ações pontuais, com o objetivo de manter as informações anti-tabagismo em destaque. Essas últimas, incluem campanhas no Dia Mundial sem Tabaco (31 de maio) e no Dia Nacional de Combate ao Fumo (29 de agosto).



As ações contínuas abrangem os programas "Prevenção Sempre", "Sabor Saúde" e "Saúde e Coerência", desenvolvidos respectivamente em ambientes de trabalho, escolas e unidades de saúde, possibilitando manter um fluxo contínuo de informações sobre tabagismo e riscos para os fumantes.

Fonte: http://www.saude.ba.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=126&catid=7&Itemid=48

Nenhum comentário:

Postar um comentário