quinta-feira, 2 de maio de 2013

Nissan já conta com oito fornecedores de autopeças em Resende


 japonesa Nissan, que investe R$ 2,6 bilhões desde 2011 para construção de uma nova fábrica em Resende (RJ), a operar a partir do primeiro semestre de 2014 com capacidade para 200 mil veículos por ano, espera atrair 30 fornecedores de autopeças para um raio de 60 quilômetros da planta. O objetivo está cada vez mais próximo de ser atingido. Em entrevista à Automotive Business, o secretário de desenvolvimento econômico do Rio de Janeiro, Julio Bueno, contou que oito empresas de autopeças (sete japonesas) já confirmaram instalação em Resende. 


Os investimentos prometidos pelas fornecedoras já ultrapassam R$ 675 milhões. A expectativa, segundo o secretário, é de que 2 mil empregos sejam gerados pela Nissan, que fará inicialmente os veículos March e Versa, e mais outros 2 mil sejam criados por conta da instalação de fornecedores entorno da nova fábrica. 



FORNECEDORAS CONFIRMADAS 


A Calsonic Kansei, de acordo com o executivo, investirá R$ 27,9 milhões para construção de uma planta para fornecimento de escapamentos à Nissan. A unidade de Resende deverá empregar 400 funcionários. 
A Kinugawa Rubber aplicará R$ 24,9 milhões com o intuito de fazer tiras para vedação das portas dos Nissan com a ajuda de 220 empregados. 
A Mitsui Steel, com 120 trabalhadores, promete R$ 58,5 milhões para entregar bobinas de aço. 
O aporte da Nagase, que fabrica componentes eletrônicos, entre outros, ainda de acordo com Bueno, será de R$ 30 milhões. O seu quadro de funcionários em Resende deve começar com 50 pessoas. 
A também japonesa Tachi-S fornecerá, com 295 trabalhadores, bancos para Nissan. Para tanto, seu investimento inicial na nova planta é de R$ 87,2 milhões. 

A Yorozu será responsável por suspensões dos veículos e reservou R$ 59,9 milhões a fim de atender o projeto da cliente após contratar 300 profissionais. 
O maior investimento anunciado ao governo do Rio de Janeiro foi o da Toyoda Gosei, que também terá fábrica em Itapetininga, no interior de São Paulo, para o fornecimento de componentes de borracha e plástico para a indústria automobilística brasileira. Em Resende, a aplicação será de R$ 100 milhões com geração inicial de 100 empregos. 
Dentre as empresas, a única que não virá do Japão para se instalar próxima a Nissan é a Faurecia. A fabricante francesa fará a parte interna de portas em uma fábrica que consumirá R$ 36,9 milhões. 
“A Nissan está trazendo fornecedores japoneses, mas também qualificando empresas nacionais para se instalarem em um raio de 60 quilômetros. Essas empresas estão recebendo incentivos para se fixarem o mais próximo possível da linha de produção. O governo do Rio de Janeiro prevê que em breve elas passarão a fornecer para a MAN Latin America, também presente em Resende, e para a PSA Peugeot Citroën, com fábrica em Porto Real”, concluiu o secretário Julio Bueno.



Nenhum comentário:

Postar um comentário