terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Brasil se prepara para instalar primeira fábrica de fabricação de células fotovoltaicas

No fim do ano passado, os governos brasileiro e francês assinaram acordo que deve, finalmente, trazer a tecnologia de produção de células fotovoltaicas para o país. Até então, a fabricação dos equipamentos no Brasil se resumia à montagem de peças importadas. A nova fábrica, com projeto previsto para o próximo ano, poderá realizar todo o processo, desde a purificação do silício à produção de módulos. A ação é essencial para o barateamento das células no mercado interno, além de incluir o país na revolução tecnológica pela qual têm passado os coletores de energia.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Energias Alternativas e Meio Ambiente (Abema), o preço da energia fotovoltaica, um dos grandes culpados pela resistência a esse tipo de fonte, caiu em 2011 de US$ 1,50 para US$ 0,50 por watt. Se esse ritmo continuar, prevê a entidade, o custo da eletricidade de origem solar deve se igualar ao das outras fontes até 2015. “A competição com a eólica e outras tecnologias de fontes renováveis tem feito a energia solar caminhar a passos gigantes”, avalia Ruberval Baldini, presidente da associação.

Para o especialista, o preço mais atraente vai impulsionar as pesquisas já em andamento em todo o mundo. “Existe uma busca por materiais e processos sustentáveis, e a entrada desses produtos e métodos na indústria dependerá do impacto econômico que causem”, completa.

Esse embate financeiro faz com que, pelo menos por enquanto, descobertas fiquem restritas ao laboratório. É o caso de uma célula fotovoltaica inspirada nos girassóis desenvolvida na Universidade de Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos. Apoiado numa combinação de elastômero líquido, cristalino e nanotubos de carbono, o conjunto se contrai na presença do calor, o que leva a célula a se curvar para o sol e absorver mais luz. “Com o aperfeiçoamento dos materiais e do design, conseguiremos a mesma eficiência de modelos com GPS e motores. Nosso custo seria mais baixo”, adianta Hongrui Jiang, criador dos módulos móveis. “Mas nosso método ainda está na fase de pesquisa.”

Leia mais em: http://www.em.com.br/app/noticia/tecnologia/2013/01/01/interna_tecnologia,340507/brasil-se-prepara-para-instalar-primeira-fabrica-de-fabricacao-de-celulas-fotovoltaicas.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário