terça-feira, 8 de maio de 2012

Descoberta científica vai tornar HDs até cem vezes mais rápidos que os atuais

Um time de engenheiros descobriu propriedades até então desconhecidas na matéria-prima atual de memória e pode ter aberto a porta para uma nova geração de equipamentos. A descoberta tornará cartões, discos rígidos, mídias compactas e sistemas computacionais bem mais capazes de reter e manter dados, muito mais rápida e permanentemente que as memórias que conhecemos. E não custará nada além daquilo que já gastamos hoje.

A equipe do Departamento de Engenharia e Ciência de Materiais do Instituto Johns Hopkins focou sua pesquisa mais recente no material mais padrão da indústria para armazenamento: a memória comum, cuja matéria-prima é feita a partir de uma liga de germânio, antimônio e telúrio, também conhecida simplesmente pela sigla GST.

O GST é usado atualmente em mídias ópticas como o CD-RW e o DVD-RW e, ao se experimentar a utilização de diferentes pontos de pressão com a ajuda de diamantes (em vez de laser), os engenheiros descobriram novos níveis de resistividade elétrica e chegaram a uma formatação ainda mais eficiente para o próprio GST.

“Essa formatação de memória de comutação fásica é bem mais estável que o material utilizado para os discos rígidos de hoje. Ela é 100 vezes mais rápida e pode ser sobrescrita por mais de 100 mil vezes”, disse Ming Xu, doutorando entre os membros da equipe. “Em aproximadamente cinco anos, ela poderá substituir os discos rígidos e dar mais memória aos computadores”, concluiu

Fonte:
http://imasters.com.br/noticia/24361/tecnologia/descoberta-cientifica-vai-tornar-hds-ate-cem-vezes-mais-rapidos-que-os-atuais

Nenhum comentário:

Postar um comentário